Ci√™ncia, Sa√ļde e Lifestyle Sa√ļde

Entenda porque jovens, grávidas e motoristas devem evitar uso de Cannabis

Segundo os cientistas, o canabidiol pode ser considerado como uma opção potencial de tratamento para redução de convulsões em casos de epilepsia.

Por Rachel Moraes

31/08/2023 às 22:07:53 - Atualizado h√°
Reprodução

Uma revisão de meta-an√°lises de estudos sobre Cannabis apontou que adolescentes, jovens adultos, mulheres gr√°vidas e pessoas que estão dirigindo ve√≠culos devem evitar o uso da subst√Ęncia. Ao mesmo tempo, observou que o canabidiol (CBD), uma das subst√Ęncias encontradas na Cannabis, √© efetivo para epilepsia, especialmente em crianças, e que outros canabinoides podem ser ben√©ficos no tratamento de esclerose m√ļltipla, dor cr√īnica, doença inflamat√≥ria intestinal e cuidados paliativos.

A revisão (uma esp√©cie de revisão de revisões) buscou avaliar a qualidade, a credibilidade e o n√≠vel de certeza das associações existentes entre a sa√ļde humana e a Cannabis, canabinoides e rem√©dios à base da subst√Ęncia. Foram consideradas 101 publicações

O trabalho, que saiu nesta quarta-feira (30) na revista BMJ, incluiu em seu escopo tanto estudos observacionais quanto pesquisas randomizadas controladas.

Segundo os cientistas, o canabidiol pode ser considerado como uma opção potencial de tratamento para redução de convulsões em casos de epilepsia.

Os medicamentos feitos a partir de Cannabis tamb√©m podem ter seu uso considerado para diferentes quadros associadas à dor cr√īnica. Entre os exemplos citados pelos cientistas, estão esclerose m√ļltipla, espasticidade associada à esclerose m√ļltipla, n√°usea e v√īmito em pessoas com diversas condições de sa√ļde e para o sono em pacientes com c√Ęncer.

"Canabidiol parece ser seguro em relação a sintomas psiqui√°tricos, mas são necess√°rios mais estudos antes que essa droga seja recomendada para o tratamento de problemas psiqui√°tricos", afirmam os pesquisadores.

Dirigindo-se aos respons√°veis por pol√≠ticas p√ļblicas de sa√ļde e outros pesquisadores, os autores da revisão afirmam que são necess√°rias diretrizes para traduzir em pr√°tica cl√≠nica os achados existentes sobre o uso da Cannabis.

CUIDADOS E CANNABIS X √ĀLCOOL
De acordo com os autores da pesquisa, adolescentes e jovens adultos devem evitar o uso de Cannabis por causa do neurodesenvolvimento ainda em curso. Al√©m disso, √© o momento em que transtornos de sa√ļde mental t√™m in√≠cio e a cognição se mostra primordial para o aprendizado e performance acad√™mica.

Os pesquisadores afirmam que, para o caso de jovens adultos, o consumo deve ser evitado quando h√° propensão a problemas de sa√ļde mental ou se a pessoa j√° apresenta, de fato, tais problemas.

Foi identificada ainda uma associação entre o uso da Cannabis e quadros de psicose.
Na an√°lise, foi considerada a qualidade das evid√™ncias encontradas. Para o caso de uso de Cannabis associado a psicose em adolescentes, as evid√™ncias são de "credibilidade altamente sugestiva, convincente nas principais an√°lises de sensibilidade". Para adultos, "credibilidade sugestiva, certeza sugestiva".

Vale dizer que, para os estudos observacionais, aqueles em que não h√° intervenção direta dos pesquisadores, somente uma observação e correlação posteriores, a credibilidade da evid√™ncia foi classificada da seguinte maneira: convincente, altamente sugestiva, sugestiva, fraca ou não significativa.

Para o caso dos estudos randomizados controlados, resumidamente, pesquisas em que os participantes são aleatoriamente distribu√≠dos para receber ou não uma subst√Ęncia, ou seja, h√° um grupo controle, que não toma uma determinada droga e que serve como comparação para o grupo que toma, o grau de certeza sobre a evid√™ncia passa por alto, moderado, baixo ou muito baixo.

Os cientistas dizem acreditar que a converg√™ncia de evid√™ncias entre estudos observacionais e randomizados feita por eles fortalece os achados da revisão.

(Caso voc√™ esteja se perguntando, sim, existe uma diferença entre meta-an√°lises a base da revisão aqui noticiada, e revisões sistem√°ticas, algo que √© mais comumente visto por a√≠. Resumidamente, as meta-an√°lises se apoiam mais amplamente em metodologia estat√≠stica para analisar e tirar conclusões de diversos estudos j√° publicados.)

De forma geral, pode-se dizer que a revisão das meta-an√°lises observou que a maior parte dos resultados associados ao uso de canabinoides √© amparada por evid√™ncias fracas (aqui considerados estudos observacionais), por certeza baixa ou muito baixa (considerados aqui ensaios cl√≠nicos randomizados) ou por evid√™ncias não significativas (levando em conta ambos os tipos de estudo usados na revisão).

O apontamento de que certos grupos devem evitar o uso da subst√Ęncia vem de evid√™ncias convincentes e convergentes, dizem os autores da revisão. Tais evid√™ncias apontam, segundo os cientistas, que o uso de Cannabis √© associado a problemas de sa√ļde mental e cognição e a aumento no risco de acidentes de carro. Al√©m disso, o uso durante a gravidez pode ser prejudicial para beb√™s.

"Outras associações entre Cannabis e resultados de sa√ļde não são apoiadas por evid√™ncias convergentes ou convincentes", dizem os autores da revisão.

Os pesquisadores, inclusive, fazem uma comparação entre a Cannabis e o √°lcool. Ele citam a incongru√™ncia no tratamento legislativo dado aos dois itens em v√°rias partes do mundo, especialmente considerando os efeitos negativos do √°lcool j√° amplamente conhecidos em todas as faixas et√°rias. Enquanto isso, os danos relacionados à Cannabis se concentram entre os 10 e 24 anos, dizem os cientistas.

"Al√©m disso, at√© onde sabemos, o √°lcool não tem papel como tratamento m√©dico, enquanto nossa pesquisa mostra que os canabinoides podem ter efeitos ben√©ficos em condições cl√≠nicas espec√≠ficas", afirmam os pesquisadores. "A justificativa (cient√≠fica) por tr√°s de abordagens legislativas extremas ou ideol√≥gicas, como a legalização completa e comercialização da Cannabis, mesmo para adultos jovens, versus a proibição completa, e os diferentes requisitos legislativos entre Cannabis e √°lcool para divulgar aos consumidores os riscos associados, permanece incerta."

CAUTELA AO LER OS RESULTADOS
Como todo estudo, h√° limitações que devem ser levadas em conta nos resultados encontrados. Para começar, ao se tratar de um tema que ainda √© tido como tabu em diversas regiões do mundo, ao se falar de Cannabis e seu uso, acabamos colocando no mesmo pacote uma grande diversidade de tipos de Cannabis dispon√≠veis, tanto legal quanto ilegalmente.

Os cientistas citam, por exemplo, a questão do tetrahidrocanabinol (THC), um dos diversos canabinoides da Cannabis e o respons√°vel por deixar as pessoas "chapadas", que pode variar consideravelmente entre as subst√Ęncias obtidas legal e ilegalmente.

Al√©m disso, evid√™ncias de uma d√©cada atr√°s (a revisão considerou meta-an√°lises publicadas de 2002 a 2022) podem não ser representativas da Cannabis dispon√≠vel legal e ilegalmente hoje, normalmente rica em THC.

Fonte: Di√°rio do Par√°
Comunicar erro

Coment√°rios Comunicar erro

LIG News

© 2023 LIG News - Todos os direitos reservados.

•   Política de Cookies •   Política de Privacidade    •   Contato   •

LIG News