Estratégia política inédita: Barbalhos contam com apoio de bolsonaristas e lulistas para ampliar seu poder no Pará

Para se manter no poder, a fam√≠lia barbalho se abraça com "Deus e o Diabo"; com Lula e bolsonaristas; grileiros devastadores e militantes ambientalistas. Resta saber at√© quando as partes serão enganadas ou pelo menos fingindo isso.

Família Barbalho posa para foto com o prefeito Edmilson Rodrigues (PSOL), quem ajudou a eleger prefeito em 2020 e agora o abandonou. Foto: Reprodução/Redes sociais.

Família Barbalho posa para foto com o prefeito Edmilson Rodrigues (PSOL), quem ajudou a eleger prefeito em 2020 e agora o abandonou. Foto: Reprodução/Redes sociais.

As imagens publicadas pelas redes sociais do governador Helder Barbalho (MDB) neste final de semana, em um fazenda provavelmente localiza no Par√°, não foram feitas e publicadas a toa. Dias antes, um grande fazendeiro do Par√° foi autuado por servidores da Secretaria Estadual de Meio Ambiente por não possuir licenças para atuar no plantio de arroz no munic√≠pio de Cachoeira do Arari, onde at√© o rio foi desviado com o objetivo de irrigar a terra para a monocultura.

Helder é chamado de "comunista" por alguns adversários bolsonaristas, mas nem todos o consideram assim, pois há entre os bolsonaristas, aqueles que o apoiam fielmente, dando-lhe votos e suporte em suas atividades políticas e empresariais.

Mesmo sendo aliado de Lula, líderes religiosos, pecuaristas, agricultores e demais empresários bolsonaristas seguem ao seu lado, em total e irrestrita fidelidade ao governador paraense e sua família.

√Č claro que entre seus apoiadores, boa parte não atendeu o pedido de Helder para votar em Lula, como l√≠deres religiosos, deputados, prefeitos, pecuaristas e demais empres√°rios bolsonaristas, mas nenhum deles sofreu qualquer retaliação por parte do governador reeleito. Muito pelo contr√°rio: Helder tem afagado diversas lideranças bolsonaristas e at√© filiados algumas delas no partido onde tem controle absoluto: O MDB, onde pretende eleger 100 ou mais prefeitos nas eleições de outubro.

FAÇA O QUE EU FALO

Mesmo sendo eleito vereador de Ananindeua e depois deputado estadual pelo PSDB e depois se filiado ao MDB por onde foi eleito prefeito de Ananindeua pelo MDB, Dr Daniel Santos √© chamado por alguns setores da esquerda paraense de bolsonarista por não ter feito campanha para Lula nas eleições de 2022, como pediu Helder Barbalho para todos os prefeitos e lideranças pol√≠ticas que pôde, no segundo turno, pois no primeiro todos ficaram à vontade para votar no candidato a presidente que quisessem.

Dr. Daniel tem o apoio dos diretórios estaduais e municipais do PCdoB e do PV, assim como do diretório municipal do PT em Ananindeua. Os tr√™s partidos que apoiam Lula, possuem secretarias e cargos em seu governo, mas mesmo assim, alguns setores da esquerda, sobretudo ligados ao senador Beto Fato (PT), insistem em acus√°-lo de bolsonarista, mesmo sem apresentarem qualquer prova de que Daniel jamais tenha feito campanha ou pedido voto para Bolsonaro, tal como Helder fez explicitamente para Lula.

Segundo uma fonte do portal, a explicação de Daniel √© simples: "Nas eleições de 2022 ele estava preocupado em garantir uma boa administração para a cidade em que foi eleito e assim decidiu que os eleitores de Ananindeua e seus apoiadores escolhecem livremente em que presidente votar. Quem votou em Lula não sofreu qualquer retaliação por isso: pelo contr√°rio, todos seguem sendo respeitados e ajudando a construir uma Ananindeua cada vez melhor", concluiu um militante do PT que faz parte da prefeitura de Ananindeua.

J√° Helder, que pediu voto para Lula e √© acusado de não colaborar com o Agro, resolveu passar a mostrar fotos e v√≠deos como "homem do campo", seja cavalgando, ou em colheitas de soja, como fez neste fim de semana.

Resta saber como os setores bolsonaristas e lulistas se comportarão diante desta posição d√ļbia e controversa, onde Helder uma hora √© do agro e noutra seu governo age contra pecuaristas, madereiros, garimpeiros e produtores rurais, como o ex-vice-governador de Roraima, Paulo C√©sar Quartieiro, alvo de uma operação ambiental em Cachoeira do Arari, no arquip√©lago de Marajó, onde recebeu multas que totalizaram R$ 1 milhão por atividades irregulares na fazenda "Acostumado".

Entenda o caso

Agentes do estado e munic√≠pio participaram da operação "Mal Acostumado" e constataram operação irregular de depósito de combust√≠veis, navegação pelo rio sem licença ambiental e atividade sem licença de agropecu√°ria na produção de arroz, milho, criação de gado, entre outros cultivos agr√≠colas.

As investigações apontam que as atividades causaram impactos ambientais na região. Comunidades locais tamb√©m estavam sendo afetadas pelo uso de agrotóxicos.

Segundo o delegado Sandro Castro, titular da Divisão Especializada em Meio Ambiente e Proteção Animal (Demapa), foi apreendido combust√≠vel e a fazenda foi proibida de comercializar produtos agr√≠colas.

Na delegacia, Quartieiro teria se recusado a assinar termo de interdição. Um agente ambiental tamb√©m apontou que foi v√≠tima de ofensas homofóbicas por parte do pol√≠tico fazendeiro. Quartiero confirmou que não assinou o termo de interdição. Ele afirmou que a paralisação iria levar a fazenda a fal√™ncia. Ele ainda disse que a  "a operação tem car√°ter pol√≠tico" e que est√° sendo "perseguido por um esquema ambiental da Semas".

ENFORCAR AMBIENTALISTAS

A jornalista Naira Hofmeister publicou mat√©ria em julho de 2020, no site Intercept Brasil, dizendo o seguinte:

Novembro j√° se encaminhava para o final, e Paulo Cesar Justo Quartiero sabia que precisava andar r√°pido: quando as chuvas chegassem, em dezembro, qualquer obra se inviabilizaria durante meses. Por isso, ele vigiava de perto o time que erguia duas colunas de proporções incomuns para uma porteira de fazenda.

"Não √© um pórtico", me explicou o produtor de arroz, em 2018. "√Č um pat√≠bulo para enforcar todos os ambientalistas que venham encher o saco. Agora, com Bolsonaro presidente, vai ser assim", disparou, embalado pela então recente vitória do capitão reformado à presid√™ncia da Rep√ļblica.

Bolsonarista convicto, o fazendeiro que teve sua fazenda embargada pelos agentes ambientais estaduais e municipais, recebeu logo em seguida apoio do secret√°rio de Estado de Agricultura, Pecu√°ria e Pesca do Par√°, que √© fazendeiro, pecuarista, m√©dico e ex-deputado federal por 5 mandatos, Giovanni Queiroz (PDT), o qual compõe o governo de Helder Barbalho desde o primeiro mandato.

Logo depois do vídeo circular, Giovanni teria gravado um áudio dando apoio e prometendo intervir junto ao governador do Pará para ajudar o colega latifundiário, acusado de grilagem.

"Deputado Quartiero, quero aqui me solidarizar com voc√™, enquanto produtor rural, indignado que estou, o preju√≠zo √© para todo o setor produtivo no estado do Par√°. Ações irrespons√°veis, desequilibradas, não √©, que só v√™m a prejudicar o estado. Enquanto secret√°rio de Estado de Agricultura, este fato est√° diretamente vinculado à nossa condição de poder produzir no estado. E voc√™ vai contar comigo, estaremos juntos, j√° quero na segunda-feira encontrar com voc√™, e quero pedir uma audi√™ncia com o governador para discutir esse assunto especificamente, que logicamente se multiplica para tantos outros semelhantes. Fica aqui o meu abraço a voc√™, a minha solidariedade, e vou estar à sua disposição para trabalharmos isso no sentido de sanar de vez essa perseguição que h√° muito vem sobre voc√™. Um grande abraço."

Resta agora saber ao lado de quem o governador do Par√° ficar√°: dos bolsonaristas que defendem que a produção agr√≠cula não deve parar ou dos lulistas que querem a paralisação de todas as atividades que não atendem as determinações do Estado brasileiro.