Jogador da base do Corinthians depõe por 8 horas sobre morte

O atleta Dimas Cândido de Oliveira Filho, 18, da equipe sub-20 do Corinthians, prestou depoimento por oito horas e meia nesta quarta-feira (7) sobre as circunstâncias da morte de Lívia Gabriele da Silva Matos, 19, de acordo com o advogado Tiago Lenoir.

Jogador da base do Corinthians depõe por 8 horas sobre morte
O atleta Dimas Cândido de Oliveira Filho, 18, da equipe sub-20 do Corinthians, prestou depoimento por oito horas e meia nesta quarta-feira (7) sobre as circunstâncias da morte de Lívia Gabriele da Silva Matos, 19, de acordo com o advogado Tiago Lenoir.A estudante de enfermagem morreu após encontro com o jogador, no apartamento dele, na noite de 30 de janeiro.Dimas voltou da Paraíba -onde estava desde o dia seguinte à morte de Lívia- para prestar depoimento na 5ª DDM (Delegacia de Defesa da Mulher), no Tatuapé, zona leste de São Paulo.Segundo o advogado, os dois chegaram à DDM às 10h desta quarta, e o atleta foi ouvido até as 18h30."Ele detalhou tudo que já tinha dito no registro da ocorrência", disse.Lenoir afirmou que o atleta disponibilizou o celular, com o qual mantinha contato com a jovem, para a delegada."Desde o início ele disponibilizou à delegada seu celular, ligações, email e todas as redes sociais para comprovar o que está dizendo", afirmou.Dimas afirma que os dois se conheceram via Instagram, mantinham conversas havia algum tempo e que aquele seria o primeiro encontro entre eles.A delegada responsável pelo caso não respondeu aos contatos.ENTENDA O CASOSegundo a PM, o jogador declarou que a mulher começou a sangrar e desmaiou durante a relação sexual e ele chamou o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).O advogado do jogador afirmou que o atleta prestou socorro e não houve crime. A Polícia Civil investiga o caso.A jovem sofreu um rompimento do saco de Douglas -membrana localizada na parte de baixo do abdômen, entre o útero e o reto. A informação foi confirmada à reportagem pelo advogado que representa a família da estudante de enfermagem, Alfredo Porcer.O rompimento dessa estrutura é incomum, mas pode ocorrer em determinadas situações, dizem médicos.